Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

domingo, 25 de outubro de 2015

Inversão de valores - ENEN

" O índice de abstenção no primeiro dia de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi de 25,31%, que representa 1,8 milhão do total de 7,7 milhões de inscritos. Em 2014, nos dois dias do teste, os faltosos somaram 28,9%. A menor proporção de faltantes nesta edição ocorreu na Paraíba: 20,67%. A maior, em Roraima, com 34,9%. No Rio de Janeiro, o índice ficou semelhante à média nacional, em 25,32%. O balanço foi apresentado no início da noite deste sábado pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante. No ano passado, a abstenção total nos dois dias de teste foi de 28% "  



Artigo  completo: 


 

 

INVERSÃO DE VALORES

 
 
Candidatos que perderam o primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste sábado (24), por questão de segundos, deram diversas justificativas para o atraso. Houve quem teve que voltar para casa para buscar a caneta preta que esqueceu, quem acabou confundindo o endereço e indo para a entrada errada do local de provas, e quem decidiu fazer compras de manhã e acabou chegando tarde demais para o Enem

 
Um jornal comentou sobre uma suposta persistência dos alunos,  em seu artigo sobre a  falta ou atraso dos 'coitadinhos' que faltaram à prova ou não compareceram.  Não entendi o artigo  direito, porque quem é persistente não falta nunca, mas deixa isso prá lá, porque há muitas idéias distorcidas.
 
 
Outros falam de maneira quase elogiosa sobre o atraso e consequente invasão de portões já fechados.
 
 
Criminosos fazem barreira e candidatos perdem Enem:  Ao menos no título, nesse artigo, quem faz a coisa errada é apontado como um herói injustiçado e quem faz a coisa certa passa a  ser bandido.
 
 
Não há nenhum comentário na mídia sobre o tipo de gente que frequenta, agora, as universidades brasileiras.  Aliás, não há nenhuma referência sobre a enorme diferença que existe entre quem invade e os que não invadem portões, tenham ou não enfrentado um transito diabólico.  Se os 'heróis' são bem informados, que saíssem de casa mais cedo, porque o trânsito do Choro de Janeiro não está para peixe, nem para ratos.
 
 
NÃO FORAM OS PORTÕES DO ENEN INVADIDOS,
MAS TODA UMA SOCIEDADE.
 
 
 
Aplausos à falsidade e ao populismo que invadiu todas as áreas das cidades brasileiras.