Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos, porque a história de nossos políticos pode causar deficiência moral irreversível.
Este espaço se resume
, principalmente, à vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem
punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que
engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida
pública.


OPINIÕES PESSOAIS

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

O rabo do rato

  Ex-presidente,  antecessor e criador do governo atual chega aos 70 anos de idade encarando desafios inesperados

 
No mundo ideal, o ex-presidente . L--- da Silva imaginava comemorar os seus 70 anos de idade, nesta terça-feira (27), exaltando o status de estadista adquirido com os oito anos de seus mandatos presidenciais (2003-2010). Na véspera do aniversário, entretanto, presentes indigestos indicavam que a comemoração poderia azedar.
A crise política rondou a periferia da "instituição" L--- em períodos esporádicos, alternando boatos e acusações sem comprovação (?) que não pouparam a sua família. Enquanto a presidente Dilma Rousseff sofria com as constantes críticas de aliados e era espezinhada pela oposição com ameaças de pedidos de impeachment, L--- saía praticamente ileso do bombardeio, ainda que se esforçasse para amenizar a pancadaria contra a sucessora.
Como instância suprema do PT, para o bem ou para o mal, L---  pairava sobre o atual momento político como uma força de resistência admirável, um oráculo que a qualquer momento poderia oferecer a solução para a crise, a despeito da raivosa polarização que se observa na sociedade.
Nesta segunda-feira (26), no entanto, o "escudo" que protegia L--- sofreu uma dura pancada. A Polícia Federal tratou de colocar o ex-presidente dentro do furacão de denúncias que varre a política nacional em praticamente todo o ano de 2015. Investigações das Operações Lava Jato e Zelotes chegaram ao petista e seus familiares. Não bastasse isso, pesquisas apontaram uma queda em sua popularidade.
Na manhã desta segunda-feira (26), a empresa LFT Marketing Esportivo, que pertence a Luís Claudio L--- da Silva, filho do ex-presidente, foi alvo de mandado de busca e apreensão da Polícia Federal, em São Paulo.
A empresa de Luís Cláudio está na mira da operação Zelotes, que apura um suposto esquema de pagamento de propina a integrantes do Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais), órgão vinculado ao Ministério da Fazenda. O advogado do empresário afirmou que a ação da Zelotes é "despropositada".
Os policiais identificaram que a empresa de Luís Claudio recebeu pagamentos da consultoria Marcondes & Mautoni, investigada por suspeitas de ter negociado a edição de uma Medida Provisória que concedeu incentivos fiscais ao setor automotivo.
Um dos sócios da consultoria, Mauro Marcondes, afirmou que o pagamento se referia a um projeto esportivo, área de atuação da LFT.
Na popularidade política, L--- também enfrenta más notícias. Pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (26) pelo jornal "O Estado de S. Paulo" aponta que o ex-presidente tem a maior rejeição entre os prováveis candidatos ao Planalto nas próximas eleições. L--- não teria "de jeito nenhum" o voto de 55% dos entrevistados. Em maio do ano passado, esse percentual era de 33%.
Apesar disso, o ex-presidente continua à frente dos concorrentes quando os eleitores são perguntados em quem votariam "com certeza": 23% escolheram L--- (era 33% em maio de 2014), ante 15% de Aécio Neves (PSDB) e 11% de Marina Silva (Rede).
Para um político da estatura de L---, a "liderança", de certa forma, é um alento, mas é insuficiente para impulsionar o humor do ex-presidente em qualquer comemoração a ser realizada nesta terça-feira.
 *****  
 
Um dia a mulher viu seu marido passando a noite acordado, andando de um lado para o outro. 
A mulher pergunta: 
"Zé, o que há com você?"
Ele responde:
"É que tenho um conta prá pagar amanhã ao João e  não tenho  dinheiro." 
A mulher pega  o telefone e liga para o João.
"João, meu marido não vai te pagar." 
Diz , então, para o marido: 
- Pronto. Agora o problema é dele. Pode dormir.